Médio Oriente.

Rapto em Gaza pelo Hamas de um soldado israelita, o Hezbollah, duas semanas depois rapta mais dois soldados. Dizem, com intenção de os trocar por prisioneiros em Israel, conforme declarações do seu líder Xeque Nasrallah, que pretende ocupar espaço e fortalecer o seu movimento no conflito entre israelitas e palestinianos.
Israel, culpa o Governo Libanês pelas acções da milícia Xiita e afirma que estes são apoiados pelo Irão e pela Síria.

Se tivermos em conta a fraqueza do executivo libanês, podemos duvidar do seu controlo sobre o movimento de Hezbollah e sabendo-se que, nem o Hamas, nem o Hezbollah, libertarão os soldados israelitas sem algo em troca, não é difícil antecipar que as ofensivas israelitas estão para durar, porque Israel sabe da fraqueza do Governo Libanês e só parará quando este cair. Depois, se fizer algum acordo com o Hezbollah ou com o Hamas, estes ficarão fortalecidos o que Israel pretende evitar a todo o custo.

A confirmar esta análise, atente-se nas palavras de Shimon Peres:

“O que nunca podemos esquecer, é que no dia em que perdermos uma guerra, perdemos tudo porque perdemos o país. Por isso cada nova batalha é sempre vista como de vida ou de morte, algo que faz com que em Telavive ou Jerusalém se viva cada dia como se fosse o último e nunca se tenha como primeira preocupação o que a comunidade internacional possa pensar ou condenar.”

Entretanto e após “a tentativa de assassinato” do chefe do Hezbollah, estes respondem pela voz de Nasrallah; “Querem uma guerra aberta, vão ter uma guerra aberta” e acrescenta; “Esta será uma guerra a todos os níveis”.
Este discurso suicida, foi celebrado com tiros e buzinadelas nas ruas de Beirute.

Dizia Louçã à Lusa e cito de memória: Esta é uma situação inaceitável, a Europa tem de tomar medidas para impedir e parar estas guerras, tem de deixar de olhar para o lado sempre que o chefe dos salteadores George W. Bush promove e impulsiona estas barbáries, porque acha que no fim da estrada, está mais uma guerra contra o Irão.

Agora é a hora dos rockets e dos raides da aviação israelita, tentando cada um destruir mais que o outro e o fim sabemos já como será: destruição e morte com a preocupação cínica do ocidente devido à nova escalada do preço do petróleo, porque, qualquer conflito no Médio Oriente tem essa causa.

Mas que futuro se pode esperar, para aqueles que resolvem todas as divergências à força da bomba e que tornam qualquer intenção de convivência pacífica, numa missão impossível?

18 comentários:

Kaos disse...

Uma visão clara do que se passa no médio oriente. Já quase esgotei toda a minha indignação para aqueles que alimentam estes ódios e que tanto se esforçam por impedir a paz. Custa-me sobretudo pensar nas populações e nas crianças que são mortas todos os dias. Custa-me mesmo muito.
um abraço

MRA disse...

Digo de memória que este é um conto da rua do qual não sabemos o fim. Já perdi a esperança de um final feliz. Aliás, acho que nunca a tive, apenas momentos e algumas metáforas perdidas.
Abraço e obrigado pela visita!

tb disse...

Será um fim igual a tantos outros que já assistimos. Tanto desperdício de energia e vidas...em troca de coisas tão efémeras que nada são comparadas ao valor que a vida deveria ter.
beijinhos

PSeven disse...

Eu continuo a ter esperança na Paz. O problema é que, do lado dos palestinianos, é impossivel controlar os extremistas que querem a guerra pela guerra e lançam provocações assim que aparece uma hipotese de paz. E do lado israelita há um governo cego e arrogante, que não se preocupa em criar condições para a paz e aproveita as provocações para... o que estamos a ver. Mas a situação não me parece imutável. Lamentavel é a estupida perda de vidas que está a custar.

Mocho Falante disse...

é o famoso olho por olho dente por dente...a verdade é que andam a matar gente inocente através de uma causa disfarçada de hipocrisia...mas agora questiono? Os israelitas já sairam da faixa de gaza...já cederam nos territórios ocupados...mas mesmo assim não foi suficiente...

está para durar com toda a certeza este conflito

abraços

Luna disse...

Não gosto de politica, aí só vejo jogos, ganancia , maldade, pessoas que sofrem, e não me parece que isso va mudar, cada vez nos tornamos mais desumanos.
Mas a esperença é a ultima a morrer, que bom que era não haver mais odio
beijos

Teresa Durães disse...

"War Games", lembra-se do filme? Eles não :(

(obrigada pelo seu comentário!)

Isa Calixto disse...

Tal como a Luna, eu não gosto de política!!! Sei que não posso, ou melhor, não devo colocar as coisas nestes extremos, mas cheguei a um ponto de não acreditar que um dia o Mundo caminhe em Paz...e não é só Médio Oriente...infelizmente o poder subiu á cabeça do bicho Homem e temos de caminhar, no meio de tanta hipocrisia, em todo o lugar...mas mesmo assim não devemos nem podemos fechar os olhos...afinal os nossos filhos são o futuro, temos de acreditar que um dia as coisas possam ser diferentes...é, meu amigo, decididamente eu não discuto politica, mas que haja sempre VOZES activas para combater injustiças!!!!
E vamos tentar Acreditar!...

Beijinhos

Rui Martins disse...

a presente estratégia de Israel apenas serve aos radicais do Hamas e do Hezbollah que assim capitalizam apoios e recrutras entre palestinianos e libaneses que antes estavam neutrais ou amorfos...

visar alvos civis é sempre um erro... e se pensam que o Hamas se rala com as mortes de civis... ou mesmo a dos seus pp militantes... nem pensar. quem espera a recompensa no Outro Mundo nada tem a temer do que lhe acontece neste.

luma disse...

Pires, eles se degladiam entre si. O que farão com estranhos à eles?? Crescem convivendo com a guerra, são educados pra isso. Respiram guerra.
Li rapidamente o texto, me desculpe!! Vim só pra me despedir!! Beijus

zalinha disse...

Porque será que são alimentados tantos odios que fazem com que morra tanta gente inocente?Pois será seguramente uma pergunta sem resposta possivel e um desfecho que todos nos podemos prever:mortes, mortes e mais mortes:(

olhar disse...

Qualquer dia e talvez falte menos do que penso, os Judeus e os Americanos vão engulir o raio da arrogância. O pior é o percurso e os inocentes que morrem antes e até isso acontecer,

Abraço. Gostei do blog.

madalena pestana disse...

O papel de vítima lendo as Escrituras vai muito bem com o povo Judeu...se se ler mal.

Abraço.

drika4ever disse...

a paz parece cada vez mais distante da humanidade :-(

Infelizmente...

bjos!!

pintoribeiro disse...

Li. Não comento. Um abraço de boa noite Pires.

pintoribeiro disse...

Li. Não comento. Um abraço de boa noite Pires.

Maite disse...

Caro PiresF
"uma missão impossível", de facto. Ambos chamam-lhe uma questão de sobrevivência (aniquilar o outro)e sendo assim...não há boa vontade externa que lhe valha.

Uma boa tarde para si

sam,u disse...

os israelitas são um bando de criminosos onde a difrença com os nazis é simplesmente o símbolo.
espero ardentemente que moreram muitos não fazem cáfalta nenhuma.
puta que os pariu.