Sub-coisas ou (vá lá) contos de leitura rápida.


Segundo ela, ele era um medíocre tuga, xico esperto.

Banqueteava-se enquanto ela não parava de o criticar devido à sua propensão para o dislate. Quando azedava, instintivamente, brindava-o com o seu jeito para a associação de expressões, e foi com um sorriso meio trocista meio insolente que lhe pediu o galheteiro.
Ele, conhecendo-a, não resistiu a comentar que os sons polifónicos o incomodavam.
Tudo isto, instantes antes, da faca da carne ter aterrado no seu peito.


Te(n)são. (ou a forma de deslocar o protagonismo para o titulo)


Chovia. Olhavam-se olhos adentro e sabiam que a tensão rapidamente subiria. Quando a mão dele se moveu na sua direcção, já ela se encaminhava para o quarto.

39 comentários:

Anónimo disse...

PiresF, bom dia

numa leitura lenta dos seus contos de leitura rápida, descubro os ditos populares, verdadeiramente provincianos.

O primeiro fez-me lembrar um guloso, qual ave de rapina esfaimado e bêbedo da zona do Viriato, que espancava a mulher sempre que chegava a casa para o jantar (estórias que se contavam à soleira da porta) -"Antes morrer de azia do que de barriga vazia", diziam as velhas encorpando o corvo do falecido, de língua afiada pelas malaguetas do vaso ali ao lado.

E o segundo, recordou-me o que o senhor Américo dizia enquanto vindimava, lá nas encostas do Dão - "As coisas boas da vida, ou são pecado ou engordam".

Um beijo amigo

P

ângela marques disse...

a leitura pode ser rápida.

mas tem de ser recorrente:)


re-voltarei, re-lerei

beijo

A Senhora disse...

Ou... como fazer um leitor brincar com os textos e imaginar um filme.;)

bom domingo

isabel mendes ferreira disse...

a chuva tem coisas assim em bátegas de metáfora....ou andamentos da mão rumo ao quarto de esperar.



. assim curto e claro/escuro.


gosto.



"contador de almas".



beijo . a 26.

isabel mendes ferreira disse...

e volto mais tarde para ler o que falta...:)

O'Sanji disse...

contos magros, como o tempo que corre, mas cheios de imaginação.
Beijo, amigo

Sahmany disse...

Oi Pires, só passando pra te deixar um abraço e desejar ótima semana!

Bill disse...

Leitura rápida mas de qualidade, como é de costume do meu amigo.

Fiquei a imaginar a cena, desenhando os instantes entre a frase e a faca.

Abraço amigo.

[s]s

firmina12 disse...

espreitei, respirei e vou voltar

alice disse...

gostei especialmente da faca da carne. um gesto assim jamais poderia ter sido feito com um canivete, por exemplo. é nestas pequenas coisas que a escrita do Pires me fascina :) beijinhos.

Jay Dee disse...

Morte e Sexo? Ou a minha mente preversa...

Frioleiras disse...

chuva e o sabor dos encontros...

nada mais belo para amar do que a sensação da involvência,
numa redoma de chuva............

Tchi disse...

E não falhou a pitada de sal.

:)
:)
:)

Um quarto.

:):):)

Beijinhos.

Graça Pires disse...

De leitura rápida, mas a pedirem releitura.
Beijos.

mié disse...

pois... tudo rápido, muito rápido que o tempo é curto :)

só para te deixar tb um beijo abrilado, ...ainda.

TERNO.

Mar Arável disse...

Apesar da falta dos coentros

só lhe faltou um pequeno pormenor

o quarto já estava ocupado

Sempre bom texto

Uma delícia

Abraço

casa de passe disse...

um 1º de Maio sem violência e tranquilo, com sol e esperança

Um beijo da

NINI

triliti star disse...

parece-me que há quem perceba mais de involvências que de envolvências. será culpa do magalhães?

Miguel Barroso disse...

A paixão laminada

M. disse...

No primeiro, ele teve o que merecia, afinal ele era mediocre, tuga, chico esperto, o que lhe dá o pleno direito de usar a faca. E mai nada.

No segundo, ele seguiu-a, ela esperava-o atrás da porta com a faca na mão e matou-o outra vez. Desta vez foi só para dar protagonismo ao titulo.

saio a fugir que vou ver o mar :))

beijo

R. Rudoisxis disse...

A faca que entra o buraco que fica.
Jorra o nectar de deuses do buraco da vazilha, onde o sangue é vinho que inebria no momento o qual tem de ser consumido rápidamente antes que azede e nos possamos aperceber do real significado da vida.
Vale o momento, vale o sabor, vale o extase imediato e não pensado. É os espaço temporal vivido in.tensamente e ainda há quem pense que em poucas palavras é impossivel dizer tanto.
Um abraço

mfc disse...

Os jogos de antecipação são uma manifestação de clarividência.

Bandida disse...

:))) alterial, claro...



gostei muiiiiiiiiiiito!!



e, vamos beber cervejas?


beijo

Bandida disse...

eu queria ter dito - arterial, a tensão, claro! :)))

mariab disse...

poucas palavras. muita intenção. pelo prazer de ler.
beijos

heretico disse...

texto corrosivo. veneno puro.

abraços

isabel victor disse...

Vim espreitar-te "espreitador" ...

:))

sempre in.esperado



surprendente
provocador



!



um beijo. claro



iv

so lonely disse...

a faca na carne...ai não! antes que me sigam para o quarto.

casa de passe disse...

Lá no bairro de barracas onde vivi muitos anos, muito calão se falav. Mas nunca ouvi, ou então ouvi e já não me lembro, a palavra tuga. Vou perguntar às meninas o que quer dizer.


Ernesto, o avô

Nuno de Sousa disse...

Sempre surpreendente o que se escreve por aqui para além do imaginário...
Um forte abraço e até breve, nem que seja mais um almoço :-)
Nuno de sousa

Tchi disse...

Ainda chove, Jota Pê?

Ou é(são) a(s) águia(s) em voo que te deixam ainda mais ocupado!?

:)

Beijinhos.

Non disse...

Já tinha saudades dos teus contos, mesmo de leitura rápida. Bjinho. :)

Anónimo disse...

Amigo Espreitador

anda mesmo sem tempo.

Por cá também. Fujo sempre até aqui. Vou ouvir música acolá e passeio-me à beira mar. Só para descontrair. Deixo um beijo e o desejo de rápido reencontro. Talvez em dia da criança.

P

isabel mendes ferreira disse...

aproveitei o seu comentário no piano.

espero que me perdoe.


beijo. na expectativa de um outro contar. breve. brevemente.


bom domingo.

Sandra Fonseca disse...

Preciso como uma cena de um curta. Com um conteúdo do tamanho de um longa-metragem. Assim o li. E adorei.
Sandra.

MM disse...

a um xico esperto, claro que só de tratamento com faca de carne! Olha se era de peixe... ;)))))

ângela marques disse...

já estava com saudades:) obrigada pela visita.
quis dizer que sou completamente a favor da lusofonia, apenas questiono a "necessidade" de acordos no caso da língua portuguesa que só lucra com as "variantes" dos outros países de língua portuguesa. já me parecia, por exemplo, muito mais útil que se fizesse uma campanha no sentido de clarificar que não existe "brasileiro", mas sim português do brasil...
enfim, como eu disse na Babel, isto daria pano para muitas mangas:)

e tens toda a razão em temer que eu seja internada. se quiseres, aviso-te. agora é imperdoável que não saibas o que é o twitter. é muito "in"

grande beijo, PiresF

Tchi disse...

Dia D.

Abraço.

Oliver Pickwick disse...

Leitura rápida, porém de longo alcance. Gostei muito da narrativa desta tragicomédia do cotidiano passional. Parabéns por este trabalho.
Um abraço!