Timor-Leste



Enquanto a Austrália pede desculpa aos donos da terra, e Gastão Salsinha, o autoproclamado novo líder dos rebeldes, em declarações à estação de televisão australiana Channel Nine, afirma estar fortemente armado numa casa em Díli, que não se rende sem luta e que o seu objectivo é lutar por justiça, os 70 agentes da Polícia Federal Australiana enviados para Díli após os atentados desta semana, vão actuar de forma autónoma em relação às Nações Unidas e às forças de segurança timorenses, noticia a agência de informação australiana AAP.

Ao contrário dos agentes da polícia australiana que já estavam no terreno, os reforços não estão às ordens das Nações Unidas (ONU) em Timor-Leste.

Enquanto isso Portugal lava as mãos e apoia qualquer pedido para a resolução da crise timorense após consultas e em cooperação com a Austrália, revelou o ministro dos Negócios Estrangeiros australiano, Stephen Smith, no Parlamento, em Camberra, e fonte do gabinete do chefe da diplomacia portuguesa confirmou à Lusa.

2 comentários:

Anónimo disse...

com a seca que anda por aí, não sei onde portugal ainda encontra água para tanta lavagem de mãos...(e não só)...:(.


coisas. do despudor.
e da falta de grandeza.


beijos.

lavados. sim.


y.

Mocho-Real disse...

Iguais a si próprios os nossos governantes!

Um abraço.

Jorge G.