Armazém da Comunidade Vida e Paz, foi assaltado

No inicio de novembro, publiquei aqui uma mensagem sobre a Campanha de Angariação de Meias para os Sem Abrigo de Lisboa da Comunidade Vida e Paz. Soube depois que, o meritório, razoável e benéfico objectivo de angariar 5 mil pares de meias, tinha sido alcançado e largamente ultrapassado devido à onda de solidariedade que mobilizara os que ainda se preocupam com os que nada têem e nos permite continuar a considerar válidas as reflexões sobre o mundo, a humanidade, o mau, o bom, e mais uma série de coisas lixadas como estas.
Estava tudo preparado para de 14 a 16 de dezembro na Cantina 1 da Universidade de Lisboa, poderem também ser servidas 4500 refeições aos Sem-Abrigo. Acontece que, com desassombrado despudor e nenhum principio subjacente ao sentido do valor das coisas na vida de quem nada tem, que me merece profunda indignação, revolta e uma torrente de pensamentos que, embora disparatados, neste momento me parecem muito a propósito, na noite do passado sábado, a uma semana da festa de Natal, o armazém da Comunidade Vida e Paz foi alvo dos malefícios de mão invisível e os 22 mil pares de meias que se destinavam aos Sem-Abrigo, roubados na sua totalidade, assim como, uma catrefada de alimentos destinados às refeições de Natal.

O blog da Sophia Valente, uma das almas do projecto, dá conta disso mesmo. Perante esta intolerável situação, que me escuso a adjectivar para além da incomensurável filha-da-putice, somos de novo requisitados.

Comunidade Vida e Paz
E-mail - vsosophya@hotmail.com
Rua Domingos Bomtempo, n.º 7
1700 – 142 Lisboa

4 comentários:

mac disse...

Quem é que se dá oa trabalho de roubar meias? Será que é para pendurar nas chaminés? Estou a brincar...esta situação é ridicula!! Não consigo imaginar qual o intuito de tal acto...

Bill disse...

Karambola...

Que bando de cretinos rouba meias? E ainda mais meias para doação...
Lamentável existir pessoas assim :(

[s]s

Anónimo disse...

Lá me estou eu a lembrar novamente de tacos de basebol...

sa morais disse...

O anónimo sou eu!