Acabaram as conversas com a minha dentista


- A partir de agora só falo com estes três dedos. Este diz sim, este diz não e este diz que, ou pára de falar ou me tira a parafernália toda da boca. Decorou?
- Decorei.

Bolas… cansei-me da figura patética e ridícula de ter de lhe responder com o aspirador e outros instrumentos de tortura enfiados na boca e mandei à fava o tratado dos deveres, porque, há dias, que para colher o fruto há que derrubar a arvore. É que, a conversa tinha rumado para o casamento (não me lembro porquê, mas a culpa, embora simples, é certamente das cerejas). Dizia ela, que o casamento era só um papel e acrescentava sentença decidida no tribunal da sua imaginação: é assim e basta, é assim porque é melhor. E eu, devido à total inviabilidade de disputar no terreno racional tamanha ligeireza, nem lhe podia perguntar do que tinha ela medo; se de casar ou de se divorciar.

10 comentários:

hora tardia disse...

e cerejas assim qurem-se MUITAS.

com mil dedos. a segurar o diálogo de um humor...que casa mt bem aqui.


bom dia.


:)


____________beijo.

hora tardia disse...

acho que "engoli" um "e" lá em cima...:)


:)
_________querem-se__________!

:)

Bill disse...

Hehehe

E entre o desespero no olhos de um assunto que se vai longe e grunidos e de impossibilidades de resposta, parece que é uma coisa mundial, Dentistas gostam de conversar, monólogos enquanto torturam calmamente os que estão ali a mercê do humor do dia...
Hhahaha essa dos dedos eu gostei demais, vou ver se funciona por aqui.
Vou ficar repetitivo, mas que tu escrita é uma maravilha, lá isso é.

Abraços amigo

[s]s

Klatuu o embuçado disse...

O apelido dessa senhora é Frankenstein ou Jekyll? :)

Abraço.

Mar Arável disse...

IMAGINO-ME UM DIA - REMETIDO AO SILÊNCIO

NESSE DIA SÓ ABRIREI A BOCA

NO DENTISTA

Nina disse...

Hahahahahahahahaha...

Medo da responsabilidade, não é verdade? Não posso dizer muito porque acredito nisso, acho uma coisa muito séria esse lance de ser responsável pelo que cativa. Melhor não cativar ninguém e continuar com o coração e a dignidade inteiras.

=P

Eu adoro a minha dentista, mas nada de papos filosóficos, ela me entende e sabe que tem coisas que é melhor nem falar. =D~

Beijos, beijos, saudades imensas!

=)

Nina disse...

Ops, "coração e dignidade INTEIROS", né?

Hihihi!

=)

Eva Shanti disse...

Muito bom!

Verdade se diga que as adoro: as conversas e as cerejas. Quanto aos dentistas... Faço visitas q.b.

E concordo em absoluto que numa conversa filosófica, estando um dos intervenientes em desigualdade de circunstâncias, tem de haver regras precisas que possibilitem o diálogo. Sendo que a "ou pára de falar ou me tira a parafernália toda da boca" é a minha preferida!

Já parece a noite de núpcias da Mariana e do Bernando: "Ó Bernardo, o menino decida-se, ou entra ou sai!"

Bjs

Anónimo disse...

Se ainda fosse alguma coisa que se coma, pensaste com as abotoaduras... :)

della-porther disse...

a imagem é muito engraçada.


boa semana

abraços

della