Um post boa Onda.

Sem fulanizar, mas correndo o risco, da malícia catalogar os meus limitadíssimos níveis de compreensão, como grosseiros, ou extraordinariamente ingénuos (o que às vezes até dá jeito), digo, que o que chateia à brava e acaba por ser a discordância principal, é sempre que se fala de tomar medidas punitivas e coisas assim, sobre as acções de tiranos, porque é disso que se trata, lá vem a conversa recorrente do não vale a pena por isto e mais aquilo, ou, a tendencialmente elitista de colocar sobre os ombros dos norte-americanos a responsabilidade mastodôntica de tudo o que acontece, devido, à imposta por nós umas vezes e, assumida por eles outras, suprema responsabilidade de resolver todos os problemas que afectam o mundo, quando, e desde a Segunda Guerra Mundial (e durante também), vozes “esclarecidas” se perfilam na intenção de fazer crer que o grande perigo para o mundo são os norte-americanos.

Desenganem-se os de raciocínio límpido, que julgam não precisar de uns cursos de coach que os ajude a pensar e descobrir novos caminhos, desenganem-se os que piamente acreditam que os malfeitores foram no passado os nazis, ou que são agora os tiranos fundamentalistas. Não e não. A coisa é simples e pouco engendrada como os caldos de galinha: os gajos perigosos, são, sem remissão, por causa e consequência e sem o mínimo preconceito ideológico, os selvagens dos americanos.

O problema para mim, que não tenho sonhos recorrentes com os norte-americanos, é saber, com a irrelevância das meninges que por aí campeiam, como se articula esta merda toda, e, por isso, o que os norte-americanos deviam fazer, era obrigar o congresso a aprovar uma lei que tornasse claro, que não são “reserva moral do mundo” porra nenhuma e também, que não lhes compete intervir em todo o lado onde grassa a tirania, porque não têm o dever de zelar pelos interesses da humanidade.

A Europa enfarpelada e de discurso fácil que faça pela vida e se o fizesse, talvez os norte-americanos não pensassem que podem fazer o que querem.
Estou-me nas tintas para os EUA, quero é que a Europa e os seus intelectuais burgueses, tirem as mãos dos bolsos e cumpram a sua obrigação, não estando sempre à espera, que seja o “amigo” americano a fazê-lo, para depois e no uso do seu voluntarismo cívico e das suas complexas capacidades estratégicas o criticar, mesmo tendo razão.
É que, a merda da guerra nada tem a ver com o orgasmo da Meg Ryan no coffee shop, a merda de guerra não é de borla nem grátis, custa uma pipa de massa e é a sério.

19 comentários:

tb disse...

Este mundo precisa de uma reviravolta...urgente.
Pois custa custa e sai sempre dos mesmos...
Abraços

RS disse...

Se visses a carinha de alguns tipos do Bloco de Esquerda quando, num encontro com Adriano Moreira, eu lhe perguntei de que estava a Europa à espera para fazer pela vida... Foi lindo.
Para mais, eu estava com um Kuffyeh ao pescoço!

Abraço,
RS

nota:
Já recebeste o mail com os logos? :)

pintoribeiro disse...

Muito, muito bom. Excelente. Bom dia e um abraço.

mac disse...

É mais fácil estar sentado de braços cruzados, a assistir às guerras alheias e qual estratego militar, criticá-las, do que enfiar-se na boca do lobo. É que isso, como muito bem dizes, custa muito dinheiro, material e vidas. Enquanto a Europa continuar sentadinha no sofá, com os seus discursos da treta, não seremos capazes de nos afirmar enquanto nação (considerando a UE uma grande nação). Já aqui disse, que o nosso problema é baixarmos demasiado as calcinhas...

Bill disse...

Acabam criando um anjo negro, fazendo crescer o orgulho desse para depois apontar e dizer que estão errados...
É preciso que cada um saiba e assuma sua responsabilidade, esperar que outro se levante e vá resolver tudo é algo que parece estar sendo o mais comum por todo lado...
Alimentam o monstro que vai acabar mordendo a mão do dono...
No fim será o fim do mundo apra todos...

[s]s

Outsider disse...

Excelente post amigo Pires. De facto já é altura da Europa se levantar e mostrar ao mundo e aos Estados Unidos que tem também uma palavra a dizer. Se não o fizermos vamos continuar a ser os coitadinhos e os Americanos os "donos do mundo". Se não o fizermos vamos acabar como diz o ditado. Quanto mais uma pessoa se baixa mais se lhe vê o cu.
Um Abraço.

sa morais disse...

Pois... A Europa está a perder protagonismo... Enquanto a confusa águia esperneia contra este chacal asiático, o velho lobo europeu mantem-se no seu canto, rosnando de vez em vez, sem saber muito bem se alguém lá longe o ouve... Mas talvez nem haja um lobo! O problema é que há muitos lobinhos europeus, cada um a puxar para seu lado... Estamos cheios de pequenos Chamberlains, quando precisavamos de um Winston!
Os americanos agem com a sua sabedoria... Uma sabedoria de um país e uma cultura ainda no berço e nós ficamos a ver... E agora ficamos a ver um tarado nuclear! Lindo! Os USA já não conseguem esticar mais a corda e agora também não se vão meter com o Nuke Kim.
E a China também pode ir dar banho ao cão! Agora já parece muito preocupada, quando foi ela quem apoiou o maluco! Mas o que esperar dos nanicos? Ainda devem querer tirar dividendos da confusão!
Para mim, o verdadeiro perigo sempre foi a China e os sucedaneos como a Coreia do Norte! Serão esses que teremos um dia de enfrentar! Espero estar enganado, mas... Só espero que não estejamos mais fracos...
O perigo nu8nca foi a Russia. Enquanto a URSS e os US se entretinham na Guerra Fria, a China crescia, fortalecia-se! E mais que nunca também precisamos de uma Russia forte. A Russia é Europa!

Agora treme-se na Coreia do Sul. Imaginem o medo daquela gente ao saberem que há ali perto um lunático com uma bomba nuclear...

Descubram onde estão as armas ( aqui não há duvidas sobre as armas de DM ) e acabem com elas, antes que elas acabem com o mundo! os embargos só vão fazer aquele povo desgraçado sofrer mais...

Abraço!

Teresa Durães disse...

de acordo a 100%.

ou a 1000%, escolha a medida :)

isto está a precisar mesmo de uma mudança e já agora que não seja trágica....

Boa tarde

Maite disse...

Caro PiresF

Um texto deveras emotivo!
Eu elejo-o para comissário da UE :)
porque quando as pessoas estão muito "zangadas" com o que vêm à sua volta, tomam posições. O que vemos nas instituições da UE são pessoas mais ou menos instaladas, que discutem até à exaustão questões secundárias (se...se...) adiando tomadas de posição.

E outra coisa, o Irão está à espera da tomada de posição da comunidade internacional quanto às sansões que vão ou não ser impostas à Coreia do Norte, para ele ter um álibi para prosseguir a sua caminhada nuclear.

Boa noite para si

Era uma vez um Girassol disse...

Nem só Espreitador...
Desta vez deitaste as garras de fora e fizeste mesmo Fuuuuuuuuuuh!
Em linguagem directa, à laia de desabafo, disseste umas quantas verdades...
Europa cobarde, comodista, do trá-lá-lá, sem mostrar o seu valor, sem se impor.
Bjs

Rui Martins disse...

a Europa continua a ser um colosso económico e demográfico com os braços de um anão. Não existe uma política de defesa comum e as forças armadas dos países europeus (que não as "forças armadas europeias") são mínimas e quase sem capacidade para projectar poder fora do seu teatro principal.

urge apostar na Defesa, rearmar o que foi desarmado no pós-Guerra Fria, para criar contra-pesos à Rússia, China e EUA.

Só assim a Europa pode assumir o seu papel de conrapoder mundial e forçar estes EUA a alguma razoabilidade, onde esta falta, como no Iraque.

Rui disse...

Hehehe. Esqueci-me de mudar o logon...

pintoribeiro disse...

Bom dia, abraços.

Márcia(clarinha) disse...

Desejo lindo dia para você também amigo!!
beijosssssssssss

José Manuel Dias disse...

Excelente e oportuno post...
Abraço

Mendes Ferreira disse...

a merda da guerra é que mata. indiscriminadamente. em nome dos sem nome e sem rosto. em nome dos que nunca morrem.



beijos.

Vanda Baltazar disse...

Pois é, meu amigo.


é urgente e inadiável.


Um beijo

Van

sá morais disse...

Amigo Pires:

No meu blog está a verdadeira ( e nuca revelada ) história de Kim Jong Il ;)

Abraço!

Mikas disse...

Bom fim de semana