Momentos...

VIII

A roda de Deus
nos toca.
E vives
com um ramo
de amanhecer
na boca.

Carlos Nejar



Nota: Carlos Nejar nasceu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Membro da Academia Brasileira de Letras e do Pen Club do Brasil, é considerado um dos 37 escritores da América Latina mais importantes do século XX.

7 comentários:

cilene disse...

que roda me possa me rodar ate ....que eu consiga meus objetivos

Bill disse...

Salve salve...

Nejar muito bom...

Roda da vida, sempre a girar, algumas vezes do lado errado, mais sempre a girar...
Agora

"E vives
com um ramo
de amanhecer
na boca."

Perfeito heim...

abraços

[s]s

Maite disse...

Caro PiresF

Um poema singelo ao lado de uma foto enternecedora. São estes gestos simples que nos fazem lembrar que somos mais que pedras soltas a rolar neste mundo.

Boa tarde para si :)

Vanda Baltazar disse...

...até que anoiteça?

...até que a roda chegue à nossa noite?

Um beijo e que esse teu ramo seja de sempre vivos amanheceres!

Van

a rasar o ceu disse...

é provavelmente o mais menos "brasileiro"...:) por tão universal.


uma escolha sensível.


um momento. especial.


beijo.

sabr disse...

Muito, muito bom. Boa noite Pires, abraço.

tb disse...

que belo este poema com que nos agradias. Obrigada pela partilha.
Beijo