Coisas que irritam.

Como todos devem ter ouvido alguns ouviram, o presidente da República no seu primeiro discurso do 25 de Abril, interrogou-se sobre a forma como teria crescido a criança que aparece a enfiar um cravo numa G3, naquele, que é o cartaz mais conhecido do 25 de Abril e que encimou o meu post desse dia.

O Rui Semblano do “A Sombra” satisfaz as dúvidas do Sr Presidente da República:

Pois caro senhor presidente, eis a resposta, para seu descanso:Chama-se Diogo Bandeira-Freire, tem hoje 35 anos e vive em Londres, onde estudou na London School of Economics...Acha que a vida lhe correu mal? Ou era uma figura de estilo?...

Para continuar a ler a resposta, clique aqui.

Bem… no mínimo, é intrigante que um presidente da República não faça o trabalho de casa, e apetece perguntar; para que serve o imenso staf da presidência, os Serviços de Informações, o Estado Maior do Exército, etc…
É claro que alguns dirão que o caso não merece tanto, que é de somenos, que o presidente tem coisas mais importantes em que pensar... mas irrita meus amigos, que o presidente deste país, venha com estas baboseiras tipo argumento de novela da TVI, no seu primeiro discurso do 25 de Abril e, como se não bastasse, o douto esclarecido da Madeira, resolveu não dever o Governo Regional comemorar este dia(!?) Governo Regional esse, que não existiria não fosse o 25 de Abril.

E depois ainda há quem se admire, quando a malta se irrita.

14 comentários:

RS disse...

AHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAAHAAHHAHAAHAHAHAHHAHAHAHA (uuf...)

(a minha reacção ao ver a imagem deste post - ahahaha - ainda não parei)... Ai, ai...

Um forte abraço, amigo Pires!
RS

Bill disse...

Amigo vou rir da imagem que é otima, mais chorar do assunto... Complicado... Complicado...

[s]s

PSeven disse...

Olhe, eu acho que o "esclarecido" da Madeira só está a ser, finalmente, coerente. Ele não era uma estrela ascendente da ANP, organização politica de Marcelo Caetano, que sucedeu à UN de Salazar? Então porque é que quereria comemorar um acontecimento que até o obriga a ir a eleições, a ter de aturar oposição e jornais que o criticam e que ele, “coitado”, não pode fechar?

luma disse...

Menino! Isso é só firula! É somente para aproximar-se do eleitorado! (rs*)
Bom restinho de semana! Beijus

Mendes Ferreira disse...

e se a irritação saísse à rua???


talvez desse algum resultado. prático...eficaz...


hum? e daí...talvez não...

beijo.

isa.

boleia disse...

ora, ora, eu nao me irrito porque nao ouco!... e vou estando bem assim, na minha ignorancia voluntaria...

Kaos disse...

Que se pode esperar de um hipocrita que na campanha andou a cantar a Grandola para agora recusar o uso do simbolo do 25 de Abri. Vão ser uns longos 5 (ou 10) anos.

Era uma vez um Girassol disse...

Lololololol....
Bjs

Yashmeen disse...

Parece que o dito menino teve que emigrar para a vida lhe correr bem... o que teria acontecido se ele tivesse ficado em Portugal, tivesse frequentado uma escola secundária da Damaia e tivesse estudado numa universidade privada num curso obscuro que no fim se descobriria que não era homologado pelo Ministério da Educação? Isso sim, daria uma bela história.
Quanto ao palhaço da Madeira, nem vale a pena comentar... ainda sonha com as perseguições dos cubanos!!!
Parabéns, tens um belíssimo blog.

Anónimo disse...

Ó Kaos, és mesmo uma merda, pá. Tenho dito.

PiresF disse...

Eu tenho uma opinião já repetida sobre os insultos na blogosfera e faço duas ressalvas.

1ª Ressalva – O conteúdo: Um insulto sem conteúdo reflecte apenas a falta de conteúdo de uma opinião. Responder a um comentário argumentativo com um "és mesmo uma merda, pá" faz do polemista o equivalente ao homem-a-quem-parece-que-aconteceu-não-sei-o-quê dos gatos fedorentos.

2ª Ressalva – O estilo. É incompreensível que fora da mesa do café, em frente ao computador, pronto a falar para a Humanidade e a Posteridade, o trabalhador da bloga não se dê ao esforço de fazer melhor do que um "imbecil" ou um "cretino".

Shakespeare não chamava ninguém de idiota, chamava de "obra-prima da confusão". Gil Vicente não se dignava a um "parvalhão" e nunca descia abaixo de um "mija n'agulha". Um pouco de arte dignifica o insultador e o insultado.

Espero que o anonymous, esse esplendor da ninharia, seja capaz de muito melhor.

oalcoviteiro disse...

A fotografia vale o post. Boa noite Pires, um abraço.

paper life disse...

Aquele cartaz é uma tão óbvia montagem que até na altura me deu dó, mas o Senhor Presidente como nao pensa... fala.
bj

Anónimo disse...

Oh, meus amigos, os staffs das presidencias andam demasiado ocupados com os negócios dos seus partidos, ou vocês pensam que os partidos não têm mais que fazer? Uma distracção de minutos e pode ser a morte de um artista, a perda de uma valiosa receita, e o dinheiro não cai do céu. Alguém ainda acha que algum assessor, um nomeado, um nominal, neste país trabalha para a coisa publica???