Elogio ao Amadora-Sintra!

O semanário Expresso, na sua página 6, dá-nos conta do que de bom ainda se vai fazendo quando os serviços funcionam. Eu diria, quando têem à frente dos serviços, gente que os faz funcionar e equipas de profissionais empenhados.
É o caso concreto dos serviços de pediatria do Hospital Amadora-Sintra, que é, nem mais nem menos, o hospital que mais casos de maus-tratos a crianças assinalou nos últimos anos.

Refere a Jornalista Dulce Salzedas, que entre 2002 e 2004, foram assinaladas 1326 crianças, e segundo a directora Maria do Céu Machado, raríssimos foram os casos que acabaram em fatalidade.

Estes serviços, que têem um protocolo próprio feito em colaboração com a PSP, e que reúnem diariamente para tratar destas crianças, chegam ao ponto, quando necessário, de utilizar os telefones directos de magistrados e de elementos da Judiciária.

Ao que parece, este protocolo de normas de actuação para crianças em risco do Amadora-Sintra funciona com eficácia. A directora e pediatra Dulce Salzedas, diz que o protocolo refere tudo o que deve ser feito, passo a passo, desde o primeiro minuto em que uma criança com suspeita de maus-tratos, entra no Hospital.
Desde as simples nódoas negras, – que dão entrada nas urgências, justificadas pelos pais, como originadas por quedas banais – aos casos mais graves, estão previstos no protocolo.

Tendo nós conhecimento, dos muitos casos existentes por esse país fora, de crianças maltratadas, tínhamos de referir aqui, aqueles que tudo fazem para não vermos aumentar esse número hediondo.

São significativas do empenhamento e da garra destes profissionais, as palavras da directora Maria do Céu Machado:

“Somos uma espécie de cães de fila. E, quando é preciso, até a casa dos pais vamos buscar crianças”.

Bem-hajam!

11 comentários:

clarissa disse...

Sr. Pires... conheci de perto o Hospital da Amadora... sofre dos problemas que muitos dos hospitais portugueses sofrem...mas vi lá sempre algo que me fez apreciá-lo... o cuidado com o contacto humano procurou sempre ultrapassar outras deficiências (nomeadamente o elevado número de utentes). Haverá casos de reclamação mas concordo inteiramente com a enorme validade deste post... é necessário ver o bem que se faz...que se tenta fazer...à custa de tanto mal se falar corre-se o risco de ignorar aquilo que se vai fazendo para sermos de facto pesoas e não um amontoado de genes.
Um abraço.

RS disse...

É o que eu digo.
É preciso andar com o "saco de plástico" no bolso!

:)

Rui Martins disse...

Eu próprio já me servi dos serviços do hospital, recolhendo de todas as vezes uma opinião muito positiva. Por isso, o modelo lá gestão (privada, com contrato ao Estado) parece-me adequado... Contudo, carece de vigilância e monitorização, de modo a que os interesses do Estado e de todos nós sejam salvaguardados... Da maneira como funciona a nossa Administração pública, duvido que se exerça essa fiscalização, por isso os abusos devem existir (como indicam algumas notícas vindas a lume).

PiresF disse...

Este elogio, merecido sem dúvida, também é uma crítica aos hospitais que não seguem métodos idênticos.
Se existe um método que dá resultado, porque não segui-lo?
No mesmo artigo, a Directora Maria do Céu Machado, mostra-se disponível para transmitir aos interessados a experiência adquirida e colaborar com eles. É só aproveitar e por em prática, um protocolo limado de alguns prováveis inconvenientes aquando da implementação.
Ou será que não querem adoptar este protocolo por ser ideia de outros, mesmo sendo os resultados tão evidentes?
Não estou a dizer que é isso, só me pergunto, se será?

Intervencionista disse...

Vá lá que de vez em quando ainda vamos sabendo de algumas coisas boas que se vão fazendo aqui na terra... ao menos isso.

P.s.- Já te enviei um mail com a explicação, se não entenderes, telefona-me.
Fica bem meu "velhote"...

in-culto disse...

Eu desconheço, mas obrigado pela informação, Meu Caro Pires .

LM disse...

O patético de tudo isto é ficar-se muito contente com estas notícias, quando deveriam ser a regra!
Beijinho

Lord of Erewhon disse...

Um saco de plástico dá sempre jeito... sempre substitui as fraldas para adultos incontinentes.

Cristina disse...

piresf

elogio mais que merecido, já o transmiti à Prof Maria do Céu :))

é uma mulher de fibra e uma grande profissional, daquelas que movem montanhas :)

obrigada, afinal se criticamos, porque não dizer bem quando é caso disso? é um hábito que deviamos cultivar ;)

beijinhos

PiresF disse...

Obrigado Riquita!

Num meio em que a critica está sempre presente, e quantas vezes, de uma ferocidade que abarca não só e especificamente quem erra, mas todos os que o rodeiam, precisamos também, falar do que de bom se vai tendo conhecimento, numa perspectiva de separar o trigo do joio.
Concordo evidentemente com o que diz a Lucília, mas o facto de não ser regra geral, quando devia, é que nos leva ao elogio.

Agradeço-te obviamente, a transmissão do elogio à Professora Maria do Céu. Este elogio, é o elogio anónimo, dos que reconhecem a alguns, trabalho digno e de grande profissionalismo.
Tomara-mos nós, um país carregado de Professoras Maria do Céu e dos profissionais que a acompanham nesta missão.

Um grande abraço.

Anónimo disse...

Keep up the good work » » »