O H5N1, em Diálogo.

– Olha que é ele… o Ferreira! Não me digas que andas nos arranjos lá em casa.
– Nada disso. O que eu queria era falar contigo.
– Espera aí um bocadinho. Pronto Senhor António, aqui tem os parafusinhos, dê lá cumprimentos à D. Isaura, e as melhoras, adeus. Espere aí que eu abro a porta, adeusinho, até amanhã.
– Pronto ó Ferreira, diz lá.
– Ó Zé Manel, já ouviste falar da gripe aviária?
– Não ouço eu outra coisa pá, então não sabes que o meu cunhado vende pintos nas feiras? O gajo não se cala. Querem proibir a venda e aquilo é o ganha-pão da família, não sei como vai ser?
– Escuta…, não sei se é verdade, mas ouvi dizer que uns Gansos Patolas e umas Gaivotas apareceram mortas em Peniche?
– Ó Ferreira, os únicos de que ouvi falar, foi do tal papagaio em Inglaterra e de um pato na Suécia, parece que falaram também de um Cisne, mas era lá para a Croácia ou o raio que parta.
– Pois…, mas parece que é verdade.
– Ó Ferreira, não vais também tu ficar alarmado, vais? Olha que o Sócrates já disse, que tinha comprado um porradão de vacinas.
– O Sócrates, o Sócrates, nem sei como é que vocês ainda acreditam nesse gajo?
– Ó Ferreira, com estas coisas não se brinca pá, é um caso de saúde pública.
– Pois não Zé Manel, mas aquela grande carola não pára. A vacina ainda não foi inventada, e o gajo já comprou um porradão delas.
– Não foi inventada?
– Pois não pá, o gajo confundiu o Tamiflu não-sei-das-quantas com a vacina, e aquilo não é vacina nenhuma, que eu ouvi um Médico na TVI, a dizer que aquilo só se toma depois de um gajo apanhar essa tal gripe.
– Deves estar no gozo, então o Primeiro-ministro ia dizer uma bacorada dessas.
– Não ia, já disse.
– É pá, e agora?
– Foi por isso que eu cá vim. Tu ainda andas com a Isaurinha da Farmácia?
– Ás vezes, já não é nada como era, mas porquê?
– Era para ver se ela me arranjava umas caixitas do tal Tamiflu. Dá-lhe lá uma palavrinha.
– Até calha bem, assim tenho uma desculpa para lá ir.
– Ok Zé Manel, depois bate-me ali no vidro. Até logo.
– Até logo ó Ferreira.

8 comentários:

Rui Martins disse...

Hehehe. Em plena veia discursiva, ao que vejo, mr Pires...

Excelente diálogo.

Sabe que o modelo do "Diálogo" estava muito em voga no Renascimento mesmo para ensaios científicos e técnicos.

PiresF disse...

Rui!
Eu acho que os blogs andam todos muito iguais, depois como aprovaste a anterior conversa resolvi repetir a graça, e o pior é que estou a gostar.
É pelo menos uma forma diferente de postar.

Bill disse...

Que situação hahha, comprando gato por lebre como se diz =]

--- --- ---
Poizé nobre amigo VOTEI no SIM, para mudar, para que essa violência que se espalha como fogo ao menos diminuíssem, mais na situação atual, a campanha do não se apoiou nas falhas do governo, e fizeram uma campanha um tanto quanto torta, mais mesmo assim grande parte dos brasileiros aprovaram, recebi ate um e-mail dizendo que o governo queria desarmar a população porque os USA tinha feito uma base na Colômbia e que desarmando a população ficaria mais fácil os USA invadirem o Brasil.
Tem condições uma coisa dessas, uma besteira tão grande e aposto que tem muita gente que acreditou.
Armas nunca levaram a nada, só a morte, em um debate em um canal daqui [TV-E – a melhor tv aberta que temos por aqui], um deputado que apoiava o NÂO teve a coragem de dizer que as armas eram o primeiro de muitos direitos que os brasileiros iam começar a perder, que o próximo quem sabe seria o de comprar automóveis, já que muito gente morre em acidentes... Agora veja bem, isso é coisa que se fale, armas são feitas unicamente para matar, agora querer comparar armas com automóveis realmente é o fim do mundo.

Bom caro amigo veremos o quanto essa decisão pesara em nosso futuro.

Abraços

[s]s

PiresF disse...

Bill!
Eu sabia que só podias ter votado no sim.
Essa do deputado que falas, não podia ser mais demagógica, só comparável com aquela, na altura da votação para acabar com a escravatura de que te falei.
É demagogia a mais, chega a ser insultuoso para a inteligência das pessoas, mas depois vamos ver e o povo vota nesses salafrários.
Enfim... Tem de ser esta nova geração a fazer algo para mudar este tipo de mentalidade.

Bill disse...

Acabei me esquecendo de comentar sobre a revista VEJA, a atitude dela foi ao meu ver uma das piores, a revista como meio de informação, devia esclarecer as duvidas e não apoiar um dos lados, isso é antiético, a revista veja é muito influente mais creio que seu tempo de boa revista já se foi...
Bom é isso =]

[s]s

Intervencionista disse...

Velhote... faço minhas as palavras do amigo Rui (pelo menos o 1º paragrafo, pois para o resto ainda me falta "instalar algum software")
Continua com este tom ironico que estou a "curtir".

PiresF disse...

Bill!
O brigado pela explicação. De facto a Veja devia até ser boicotada, pelos aderentes do Sim. Era o que eu faria.

PiresF disse...

Nuno!
Já me tinha decidido, mas então com a tua aprovação e incentivo, vou mesmo continuar. Se para tanto me ajudar o engenho e a arte, que não é muita.