Marc-André Besel


Esta foto é uma daquelas em um milhão...
É preciso estar no sítio certo e na altura certa. Tirada pelo fotografo Marc-André Besel. Em 22 de Agosto de 2004, no golfo do México, a partir da ilha Anna Maria na Flórida (uma Região onde costuma haver tempestades) deu-nos esta Fotografia espantosa, por pura sorte conseguiu captar um relâmpago ao por do sol.

5 comentários:

Anónimo disse...

Ainda não li tudo mas gostei da fronha do mesmo e vou torcer para que continue a ter fotos...e das boas

um abraço
AJA

Anónimo disse...

Olá querido primo! FAz tempo que não tenho noticias tuas... estou commuita saudade de você e de todos. Que bom q tens um blog, pelo menos assim posso ter um pouco de noticias de todos ai em Portugal rs...Mil beijinhos para todos da prima brasileira,
Camila

Rui Martins disse...

Alguém se lembra do livro de Verne: "O Raio Verde"? Falava a história de um um raio de côr verde que só se podia ver em condições muito específicas. Li o dito numa das férias no Alentejo e graças a uma das carrinhas que a Gulbenkian mantinha na época por todo o país. Infelizmente hoje levaram o mesmo destino que o balet Gulbenkian: foram "globalizadas"...

PiresF disse...

AJA – Obrigado pela visita, espero que voltes.

Camila – Pala tua visita já valeu a pena o trabalho de fazer o blog, pelo que a Rita me disse também tens um, mas como ela não me quis dizer o nome, presumo que devem ser coisas de adolescentes, logo barradas aos adultos que são umas mentes perversas, não é?

Rui – Eu até pensava que era uma lenda, segundo se diz o raio verde é um feixe de luz que vai do mar ao céu numa recta perfeita.
Em relação ás bibliotecas itinerantes da Gulbenkian não te preocupes, qualquer dia temos aí as da fundação Champalimon guiadas pela família Beleza

NF disse...

Está verdadeiramente fabulosa esta foto. Quanto ao raio verde, esse existe sim e não penso que seja do Julio Verne... é talvez mais conhecido pelo nome de Francis... Francis Obikkwelu.